Pesquisa

Carregando...

quarta-feira, 22 de julho de 2015

NASCIDOS DE DEUS

NASCIDOS DE DEUS

 

“Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé.” (1 João 5:4 RC)

 

1.   Nascidos de Deus! Foi sobre esse tema que Jesus conversou com Nicodemos.

 

2.   Ser nascido de Deus (nascimento espiritual) é o melhor nascimento que existe. Se não me engano foi Russel Shedd quem muito bem se expressou dizendo que uma pessoa que nasceu (nascimento físico), em berço de ouro todo decorado com diamantes e outras pedras preciosas mais, mas não nasceu de Deus (nascimento espiritual), não é bem-aventurado conforme o é um operário que sustenta a família com um salário mínimo ou menos (a parábola do rico e Lázaro, contada por Jesus, ilustra muito bem essa verdade). A razão de essa afirmação ser verdadeira é que o nascido de Deus é vitorioso de verdade, enquanto o que não é nascido de Deus pode sê-lo apenas aparentemente, temporalmente, mas não definitivamente.

 

3.   Calvino, comentando I João 5:4, disse:

 

“Esta passagem é notável; pois embora satanás continuamente lance seus temíveis e terríveis assédios, contudo, o Espírito de Deus, declarando que estamos além do alcance do perigo, remove o perigo, e anima-nos a combater com coragem”

 

(Citado por Champlim em O N. T. Interp. Vers. por Vers.)

 

4.   Alford, também citado por Champlim, comenta:

 

“O argumento, pois, consiste do seguinte: os mandamentos de Deus não são pesados, pois embora na sua observância sempre haja um conflito, contudo esse conflito resulta em uma vitória universal – a massa inteira dos nascidos de Deus conquista o mundo. Portanto, nenhum de nós precisa pensar em fracasso, ou desmaiar sob a sua própria dura luta”.

 

5.   Outro comentarista, Hoon, também citado por Champlim, diz que a vitória envolve os seguintes pensamentos:

 

“...a alegria sobre a infelicidade...; a comunhão sobre a solidão...; a honestidade sobre o orgulho moral e a auto-ilusão...; a retidão e a santidade sobre o pecado...; a pureza sobre as concupiscências mundanas...; a verdade sobre o erro...; a confiança sobre o temor, a dúvida e o desencorajamento...; A VIDA ETERNA SOBRE O TEMPO E A MORTE...”

 

6.   Ser nascido de Deus é, portanto, algo indizivelmente maravilhoso. Mas quem é o nascido de Deus? Quais são as suas características distintivas? Vejamos algumas apenas, que podem ser expressas em uma única frase:

 

A pessoa que nasceu de Deus não vive na prática do pecado, está em pleno processo de santificação e adquirindo as qualidades morais de Deus porquanto, em Jesus, passou a possuir a retidão divina.

 

7.   Em forma de esboço essa frase poderia ser construída assim:

 

A pessoa que nasceu de Deus:

 

1) não vive na prática do pecado,

2) está em pleno processo de santificação

3) e adquirindo as qualidades morais de Deus porquanto, em Jesus, passou a possuir a retidão divina.

 

8.   Quanto a não viver na prática do pecado, assim lemos em 1 João 3.6:

 

“Todo aquele que permanece nele não vive pecando; todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu” (RA)

 

a.   Coloquei esse texto aqui na versão Revista e Atualizada. O original grego diz simplesmente “não peca”, e na versão Revista e Corrigida a tradução vem assim, mas a frase está construída em um tempo verbal que indica a continuidade da ação, ficando subentendido que o crente verdadeiro foi livre do hábito do pecado. Todo mundo peca, e o crente também; e João sabia disso, tanto que nessa mesma carta, em 1:8, ele escreveu: Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós” (RC). Mas o nascido de Deus não vive na prática do pecado porque permanece “nele” (Cristo), e, como diz o versículo anterior, “ele se manifestou para tirar o nosso pecado, e nele não há pecado”.

 

b.   O Nascido de Deus “permanece”, isto é, vive uma vida de companheirismo, não só com o Filho, mas também com o Pai, pela mediação do Espírito que nele habita, e isso exige uma vida de santidade, porque o nosso Deus é Santo.

 

c.   Ainda segundo o nosso texto, aquele que vive na prática do pecado não é nascido de Deus, “não o viu e nem o conheceu”. Notem essa frase “não o viu e nem o conheceu”. Trata-se de uma visão espiritual, uma visão com a alma, uma visão purificadora que leva ao conhecimento de quem é Cristo e o que ele tem feito por nós e espera de nós. Todos os servos verdadeiros de Cristo têm essa visão, e, como servos, permitirão que ele os transforme segundo o seu querer. Calvino comentou:

 

“Cristo nunca fica dormente onde reina, mas o Espírito torna eficaz o seu poder. E pode-se dizer corretamente a respeito dele que ele põe o pecado em fuga, em nada diferente, pois, da forma como o sol expulsa as trevas com o seu resplendor. E novamente somos ensinados, neste lugar, quão forte e eficaz é o conhecimento de Cristo, porquanto nos transforma em sua imagem”.

 

(Citado por Champlim em O N. T. Interp. Vers. por Vers.)

        

9.   Quanto a estar em pleno processo de santificação e adquirindo as qualidades morais de Deus, veja os seguintes textos que dão-nos conta disso:

a.   Sobre a santificação:

 

“... libertados do pecado e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna.” (Romanos 6:22 RC)

 

“... esta é a vontade de Deus, a vossa santificação...” (1 Ts 4:3 RC)

 

“... não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação.” (1 Ts 4:7 RC)

 

 “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12:14 RC)

 

b.   Sobre estar adquirindo as qualidades morais de Deus:

 

“Mas o fruto do Espírito é: caridade, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra essas coisas não há lei.” (Gálatas 5:22-23 RC)

 

10.       Você já é um nascido de Deus? Você consegue perceber essas características distintivas em sua vida?

 

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Muqui – Julho de 2015

domingo, 28 de junho de 2015

COMO VOCÊ ESTÁ OUVINDO A PALAVRA DE DEUS?

COMO VOCÊ ESTÁ OUVINDO A PALAVRA DE DEUS?

 

Lucas 8.18 – "Vede, pois, como ouvis..."

 

INTRODUÇÃO

 

1.    "Vede, pois, como ouvis", disse Jesus a seus discípulos.

2.    Pra entendermos bem é bom vermos o contexto:

a.    Jesus, rodeado por uma grande multidão, conta uma parábola. Uma parábola é uma história, geralmente curta, na qual o conjunto de elementos evoca, por comparação, outras realidades de ordem superior. A parábola contada por Jesus à multidão foi a "Parábola do Semeador", com a intenção não de dar uma aula sobre como e onde semear para que se tenha uma boa colheita. NÃO!!! A intenção de Jesus era apontar os diversos comportamentos, a curto, médio e longo prazo, daqueles que o ouviam em relação àquilo que ele lhes falava. E consequentemente, em decorrência dos diversos comportamentos, os diversos resultados – versos 4-8

b.    À multidão não, mas a seus discípulos, em particular, Jesus explica o significado da parábola – veja esse significado nos versos 11-15.

c.    Depois Jesus conta aos discípulos uma outra parábola, a da Candeia – Se vocês são de fato luz no Senhor, hão de ser "acesos" e hão de manifestar-se como tais, e somente à medida em que forem se manifestando é que vão recebendo mais luz. Então: "vede como ouvis", ou, poderíamos dizer, *prestem bem atenção em o que estão ouvindo e como estão ouvindo*. Alguém disse muito apropriadamente que há coisas que não deveríamos ouvir de forma alguma, e outras há que, ouvidas, deveriam ser esquecidas, mas também há aquelas que deveriam ser ouvidas, guardadas e praticadas – é o caso da Palavra de Deus.

3.    Muito bem, então esse é o contexto em que essa observação de Jesus aos seus discípulos está ligada nessa parte das Escrituras.

4.    Vede como ouvis aquilo que Deus vos fala...

5.    Então vamos ver alguns exemplos de ouvir e depois vamos pensar em o que e como precisamos ouvir.

6.    Primeiro vejamos alguns exemplos de pessoas que ouviram mas agiram em desconformidade com o que ouviram.

 

I. ALGUNS EXEMPLOS DE PESSOAS QUE OUVIRAM MAS AGIRAM EM DESCONFORMIDADE COM O QUE OUVIRAM.

 

1.    Adão e Eva – ouviram e entenderam, mas deram mais crédito à voz do inimigo –Gênesis 2.15-17 e 3.1-6.

2.    Caim – Ouviu mas não fez conforme Deus orientou – "O pecado jaz à porta" – Gênesis 4.1-8

3.    Saul – Ouviu, desobedeceu e ainda deus desculpas... – 1 Samuel 15.1-23

4.    Judas Iscariotes – Ouviu e viu grandes palavras e grandes feitos, mas traiu a Jesus – A história está registrada ao longo dos evangelhos e é bem conhecida nossa.

5.    Agripa – ouviu, mas, apesar de crer nos profetas, endureceu... – Atos 26

6.    Os Gálatas – Ouviram bem, mas logo se esqueceram e se desviaram para outro evangelho – Gálatas 1.6-9

7.    E, olhando para o contexto do nosso texto, na explicação da parábola do Semeador, Jesus diz que há, negativamente:

a.    Os que ouvem, mas imediatamente vem o diabo e tira-lhes do coração a Palavra – v. 12

b.    Os que ouvem e até, a princípio, recebem com alegria, mas não criam raiz e, tentados, caem facilmente – v. 13

c.    Os que ouvem, caminham um pouco em acordo com essa palavra, mas, finalmente, se deixam vencer/sufocar por algumas coisas desta vida (v14). E Jesus cita alguns exemplos de "coisas desta vida":

                                  i.    preocupações/cuidado – que tiram nossa atenção de Deus e a desvia para as necessidades desta vida;

                                ii.    riquezas/bens materiais -

                               iii.    os deleites/prazeres desta vida – o desejo por prazer, por entretenimento a qualquer custo sufocam a palavra.

8.    Vistos estes exemplos negativos, vejamos agora alguns exemplos de pessoas que ouviram e agiram em conformidade com o que ouviram.

 

III. ALGUNS EXEMPLOS DE PESSOAS QUE OUVIRAM E AGIRAM EM CONFORMIDADE COM O QUE OUVIRAM.

 

1.    Abraão – Ouviu e atendeu com prontidão – Gênesis 12.1-8

2.    Moisés – Ouviu, até resistiu à voz de Deus, mas finalmente cedeu a Deus – Gênesis 3 e 4

3.    A Mulher Samaritana – ouviu, creu e anunciou – João 4

4.    Zaqueu – Ouviu a ordem de Jesus: "Desce depressa"... e ele desceu... – Lucas 19.1-10

5.    Os Colossenses – Ouviram e cresceram na fé e no amor – Colossenses 1.1-8

6.    Timóteo – Ouviu, não esqueceu, e ainda jovem envolveu-se... – 2 Timóteo 1.1-5

7.    E, voltando ao contexto do texto inicial, na parábola do Semeador, Jesus diz que há aqueles que ouvem e conservam a Palavra no coração e frutificam com perseverança.

8.    Bem, tendo visto tanto exemplos negativos quanto positivos, vejamos um pouco agora sobre o que precisamos ouvir e como precisamos ouvir.

 

III. O QUE PRECISAMOS OUVIR E COMO PRECISAMOS OUVIR?

 

1.    O que precisamos ouvir?

a.    Precisamos ouvir que a simples aparência não tem valor diante de Deus – conforme o contexto de nosso texto inicial, quem tem mais lhe será dado, mas quem não tem de verdade até aquilo que parece ter lhe será tirado, e Deus sabe quem é só aparência, porque nada Lhe pode ser ocultado.

b.    Precisamos ouvir que o EVANGELHO é o poder de Deus para a salvação... – Romanos 1.16

c.    Precisamos ouvir que é Jesus quem tem as palavras de vida eterna e que ele é o Cristo, o filho do Deus vivo – João 6.68

d.    Precisamos ouvir que Ele, Jesus, é o Emanuel (Deus conosco) – Mateus 1.23 e João 1.1

e.    Precisamos ouvir que Ele, Jesus, é o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo – João 1.29

f.      Precisamos ouvir que é Jesus o caminho, a verdade e a vida e que ninguém vai ao Pai se não for por ele – João 14.6

g.    Precisamos ouvir, e ouvir bem, que "em nenhum outro há salvação" e que, debaixo do céu, "nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos" – Atos 4.12

h.    E depois que ouvirmos e respondemos positivamente a tudo isso, então precisamos ouvir que requer-se daqueles que assim ouviram e atenderam, viver uma vida santificada.

                                  i.    Em 1 Tessalonicenses 5.22, em meio a uma série de orientações encontramos que devemos nos abster de toda forma/aparência de mal;

                                ii.    Em Judas, verso 23, vemos que devemos aborrecer até a roupa manchada da carne;

                               iii.    Em Romanos 13.14 lemos que devemos nos revestir do Senhor Jesus e nada devemos dispor para a carne no tocante às suas concupiscências;

                               iv.    Em Romanos 6, a partir do verso 11, lemos que devemos nos considerar mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus; o pecado não deve reinar em nosso corpo mortal e não devemos apresentar nossos membros ao pecado como instrumentos de iniquidade, e devemos nos apresentar a Deus como vivos dentre os mortos e os nossos membros a Deus como instrumentos de justiça;

                                 v.    Em Colossenses 3 lemos que devemos pensar nas coisas que são de cima, buscar as coisas que são de cima, fazer morrer a nossa natureza carnal nos despindo de todas as más qualidades de nossa carne e nos revestindo de todas as boas qualidades celestiais;

                               vi.    “... noutro tempo, éreis trevas, mas, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz..., aprovando o que é agradável ao Senhor. E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas, antes, condenai-as. Porque o que eles fazem em oculto, até dizê-lo é torpe. Mas todas essas coisas se manifestam, sendo condenadas pela luz, porque a luz tudo manifesta. Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo, porquanto os dias são maus. Pelo que não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito”, é o que lemos em Efésios 5:8-18;

                              vii.    A vontade de Deus é a nossa santificação e cada um deve saber possuir o seu vaso (corpo) em santificação e honra porque Deus não nos chamou para a imundícia, mas para a santificação – 1 Tessalonicenses 4.3, 4 e 7.

                             viii.    E por aí vai...

2.    Então, são essas coisas que precisamos ouvir...

3.    E como precisamos ouvir?

a.    Precisamos ouvir tudo isso e muito mais que encontramos na Palavra de Deus, com uma mente ansiosa por entender e com disposição pronta em obedecer – ouvir, guardar e praticar.

 

CONCLUINDO

 

1.    Em Apocalipse 3.20 Jesus diz à igreja de Laodicéia: "Eis que estou à porta e bato, se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei e ele comigo..."

2.    ...

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

 

Muqui, Junho de 2015

quarta-feira, 10 de junho de 2015

O JESUS EM QUEM CREMOS

O JESUS EM QUEM CREMOS.

 

1.    Ler Lucas 8:40-56:

 

“40 E aconteceu que, quando voltou Jesus, a multidão o recebeu, porque todos o estavam esperando. 41  E eis que chegou um varão de nome Jairo, que era príncipe da sinagoga; e, prostrando-se aos pés de Jesus, rogava-lhe que entrasse em sua casa; 42  porque tinha uma filha única, quase de doze anos, que estava à morte. E, indo ele, apertava-o a multidão. 43  E uma mulher, que tinha um fluxo de sangue, havia doze anos, e gastara com os médicos todos os seus haveres, e por nenhum pudera ser curada, 44  chegando por detrás [dele,] tocou na orla da sua veste, e logo estancou o fluxo do seu sangue. 45  E disse Jesus: Quem [é] que me tocou? E, negando todos, disse Pedro e os que estavam com ele: Mestre, a multidão te aperta e te oprime, e dizes: Quem [é] que me tocou? 46  E disse Jesus: Alguém me tocou, porque bem conheci que de mim saiu virtude. 47  Então, vendo a mulher que não podia ocultar-se, aproximou-se tremendo e, prostrando-se ante ele, declarou-lhe diante de todo o povo a causa por que lhe havia tocado e como logo sarara. 48  E ele lhe disse: Tem bom ânimo, filha, a tua fé te salvou; vai em paz. 49  Estando ele ainda falando, chegou um da casa do príncipe da sinagoga, dizendo: A tua filha [já] está morta; não incomodes o Mestre. 50  Jesus, porém, ouvindo-[o,] respondeu-lhe, dizendo: Não temas; crê somente, e será salva. 51  E, entrando em casa, a ninguém deixou entrar, senão a Pedro, e a Tiago, e a João, e ao pai, e a mãe da menina. 52  E todos choravam e a pranteavam; e ele disse: Não choreis; não está morta, mas dorme. 53  E riam-se dele, sabendo que estava morta. 54  Mas ele, pegando-lhe na mão, clamou, dizendo: Levanta-te, menina! 55  E o seu espírito voltou, e ela logo se levantou; e Jesus mandou que lhe dessem de comer. 56  E seus pais ficaram maravilhados, e ele lhes mandou que a ninguém dissessem o que havia sucedido.” (Lucas 8:40-56 RC)

 

2.    O que você sabe acerca do Jesus em quem você crê?

3.    Há poucos dias refletimos aqui sobre quem é Jesus para nós. Fizemos uma espécie de "passeio" pelas Escrituras para ver algumas declarações.

a.    Vimos declarações de João, o evangelista, que começa o seu evangelho com declarações profundas acerca de Jesus, dizendo que:

                                  i.    Ele é o verbo de Deus que estava no princípio com Deus e que é o próprio Deus que se fez carne e habitou entre nós.

                                ii.    Ele é a luz que resplandece nas trevas e vence as trevas.

                               iii.    Ele é aquele que dá a todos que o recebem o poder de serem feitos filhos de Deus.

b.    Vimos declarações de Pedro reconhecendo Jesus como:

                                  i.    O Cristo, Filho do Deus Vivo – Mateus 16.15-16

                                ii.    Aquele que tem as palavras de vida eterna – João 6.68

                               iii.    Aquele cujo nome é o único em que podemos ser salvos – Atos 4.12

                               iv.    Aquele que foi constituído juiz dos vivos e dos mortos – Atos 10.42

c.    Vimos declarações de João Batista reconhecendo Jesus como:

                                  i.    Aquele que mesmo tendo nascido neste mundo depois dele, já "era" antes dele, por ser a manifestação divina na pessoa do Filho, em carne humana – João 1.15 e 34

                                ii.    O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo – João 1.29

d.    Vimos a declaração de Nicodemos, o fariseu de João, reconhecendo Jesus como "Mestre vindo de Deus" – João 3.2

e.    Vimos declarações de Paulo, dizendo acerca de Jesus que ele é, dentre outras coisas:

                                  i.    Aquele cujo evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo o que crê – Romanos 1.16

                                ii.    O Senhor da Glória – Romanos 2.8

                               iii.    Aquele que, crucificado tornou-se escândalo para os judeus e loucura para os gregos, mas, para os que são chamados, manifestação do poder e sabedoria de Deus – 1 Coríntios 1.23-25

                               iv.    Aquele que é antes de todas as coisas e em quem todas as coisas subsistem – Colossenses 1.17

                                v.    Aquele que veio ao mundo para salvar os pecadores – 1 Timóteo 1.15

                               vi.    O único Mediador entre Deus e os homens – 1 Timóteo 2.5

f.     O escritor aos Hebreus reconheceu a Jesus, em toda a extensão de sua carta, como:

                                  i.    Aquele por meio de quem Deus nos fala,

                                ii.    Superior aos anjos por ser o Filho de Deus,

                               iii.    Superior a Moisés,

                               iv.    Superior aos sumos sacerdotes do antigo pacto,

                                v.    Exemplo de perseverança em meio às provações e, principalmente,

                               vi.    A salvação que não deve ser negligenciada porque não escapará da condenação aqueles que assim agirem (2.3)

2.    Você sabe essas coisas acerca de Jesus? Precisa saber! E não é difícil saber!

3.    Mas, voltando ao nosso texto inicial, temos nele três revelações bem práticas sobre Jesus, sendo a primeira o fato de que não há impossíveis para Jesus. 

 

I. NÃO HÁ IMPOSSÍVEIS PARA JESUS.

 

1.    O povo já estava aprendendo isso na prática:

a.    Jairo tinha uma filha única, de 12 anos, que estava à morte, e foi procurar Jesus para curá-la.

b.    A mulher, que já havia 12 anos sofria de uma hemorragia, apressou-se para tocar em Jesus, crendo que poderia ser curada de sua enfermidade.

c.    Essa mulher que tinha uma hemorragia, não havia ficado parada, em termos de busca por cura, durante aqueles 12 anos. Ela gastara com os médicos todos os seus haveres, sem obter sucesso. Mas o simples toque nas vestes de Jesus foi suficiente para ela ficar completamente curada de sua enfermidade. Antes ela fora desenganada pela medicina vigente na época, mas agora, imediatamente depois de tocar na veste de Jesus, ela estava completamente curada.

d.    Enquanto Jesus, junto com Jairo, se dirigia para a casa deste, a filhinha de Jairo morreu. Veio então um dos que serviam a Jairo, e lhe comunicou o fato, sugerindo-lhe que não mais incomodasse o Mestre, pois não havia mais o que fazer, uma vez que a menina já havia morrido. Mas Jesus, ouvindo isto, disse a Jairo: “Não temas; crê somente, e será salva”. E Jesus ressuscitou a menina.

2.    Jesus, sendo Deus, é o Autor da Vida, e é Onipotente, e nada há, por mais improvável que pareça, que lhe seja impossível de realizar. Os impossíveis do homem são possíveis para Deus.

3.    Pensemos em algumas coisas impossíveis para o homem, porém não para Deus, além dos dois exemplos do texto inicial:

a.    A travessia do Mar Vermelho relatada em Êxodo 14, naquela ocasião da forma como foi feita... IMPOSSÍVEL!!! Mas não para Deus!

b.    A derrubada das Muralhas de Jericó conforme o relato de Josué 6... IMPOSSÍVEL!!! Porém, não para Deus!

c.    Trazer Lázaro de volta à vida depois de quatro dias de morto.... IMPOSSÍVEL!!! Mas não para aquele que é o Deus encarnado na pessoa do Filho! (João 11)

d.    Ordenar ao mar e ao vento que se acalmem, que cessem a tempestade, e eles obedecerem.... IMPOSSÍVEL!!! Mas não para Jesus, aquele que é o verbo de Deus que estava no princípio com Deus sendo ele o próprio Deus na pessoa bendita do Filho!

4.    Qual a situação pela qual você tem passado, e que lhe parece muito difícil, impossível até, sair dela? Qual a situação que você tem vivido, e que já minou as suas forças e recursos? Faça como Jairo e a mulher da história: confie sua situação a Jesus! Ele pode todas as coisas! Nada lhe é impossível; ele é Onipotente.

5.    Se você até já tem confiado e buscado a Jesus, mas a situação parece que “já foi pro brejo” como pareceu ao servo de Jairo, continue confiando, pois Jesus tem poder até para “ressuscitar os mortos”. “Não temas; crê somente...”

6.    E mesmo que Jesus não faça por você aquilo que VOCÊ quer, mas faça aquilo que ELE quer, como fez com Paulo, não lhe tirando um "espinho na carne", continue confiando, porque Deus sabe o que faz e o poder dele em sua vida "se aperfeiçoa na fraqueza".

7.    A segunda revelação é que Jesus conhece quando alguém chega a Ele com fé sincera.

 

II. JESUS CONHECE QUANDO ALGUÉM CHEGA A ELE COM FÉ SINCERA.

 

1.    Jesus estava rodeado por uma grande multidão, e esta o apertava muito. Certamente que muitas pessoas tocaram em Jesus naquele dia. Ele não estava protegido por guardas fazendo barreiras com cordas. Vem então aquela mulher, que havia 12 anos sofria terrivelmente com aquela enfermidade (acrescente-se a isso o fato de ela ter gastado todos os seus haveres numa inútil busca por cura) e tocou-lhe na orla do vestido, pela parte de trás. A orla era uma espécie de franja que pendia dos ombros. Com muito temor essa mulher faz isso, porque, devido às suas condições, segundo as leis levíticas, ela estava cometendo um grande erro. Mas, crendo que poderia ser curada, ela fez assim mesmo, e foi curada no mesmo instante.

2.    Quem me tocou? Perguntou Jesus.

3.    Os discípulos falaram: Uma multidão lhe aperta, e perguntas “quem me tocou”?.

4.    Mas aquele fora um toque diferente.

5.    Aquela mulher aproximou-se de Jesus com fé sincera, e Jesus reconheceu isso.

6.    Ela manifestou-se então, com muito temor, mas Jesus lhe disse: “Tem bom ânimo, filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz”. Ela foi curada da enfermidade, salva, e livre do temor que, por ter quebrado a lei, lhe assombrava. Tudo isso porque havia fé sincera em seu coração.

7.    Jesus, sendo Deus, é Onisciente! Ele sabe aquilo que se passa no mais profundo íntimo de cada pessoa. Ele sabe se a pessoa que se aproxima dele em busca de algo crê realmente que ele pode realizar esse algo. Jesus sabe da fé que há no coração das pessoas.

8.    Ilustrar com Apocalipse 2:18-19 (“18 ¶ E ao anjo da igreja de Tiatira escreve: Isto diz o Filho de Deus, que tem os olhos como chama de fogo e os pés semelhantes ao latão reluzente: 19  Eu conheço as tuas obras, e a tua caridade, e o teu serviço, e a tua fé, e a tua paciência, e que as tuas últimas obras [são] mais do que as primeiras.” (Apocalipse 2:18-19 RC)

9.    Jesus sabe sobre a nossa fé, se cremos realmente que ele pode todas as coisas ou não; se cremos realmente que ele pode cumprir as promessas que fez ou não.

10. Precisamos buscar crescer na fé. Não adianta querermos enganar a nós mesmos e aos outros, se não conseguimos enganar a Jesus. Quando experimentarmos crer em Jesus, deixar aos pés dele as nossas ansiedades, cresceremos na fé, pois veremos que ele realmente pode todas as coisas.

11. Jairo experimentou isso, e também a mulher que tinha um fluxo de sangue, e, certamente, cresceram na fé. Assim também se dará conosco, se experimentarmos confiar de verdade em Jesus.

12. Então, não há impossíveis para Jesus e Jesus conhece quando alguém chega a Ele com fé sincera. Essas são as duas primeiras revelações. Mas ainda tem a terceira que é: ninguém pode ocultar-se de Jesus.

 

III. NINGUÉM PODE OCULTAR-SE DE JESUS.

 

1.    Depois que a mulher tocou na orla da veste de Jesus, tentou permanecer oculta, pois fizera algo errado, segundo as leis levíticas, devido à natureza de sua condição. Mas não pôde ocultar-se por muito tempo. Ela mesma viu que não podia ocultar-se de Jesus.

2.    Ninguém pode ocultar-se de Jesus.

3.    Ilustrar com: Marcos 14:10-18, e Marcos 14:27-30

 

“10  E Judas Iscariotes, um dos doze, foi ter com os principais dos sacerdotes para lho entregar. 11  E eles, ouvindo-[o,] alegraram-se e prometeram dar-lhe dinheiro; e buscava como o entregaria em ocasião oportuna. 12 ¶ E, no primeiro dia da Festa dos [Pães] Asmos, quando sacrificavam a Páscoa, disseram-lhe os discípulos: Aonde queres que vamos fazer os preparativos para comer a Páscoa? 13  E enviou dois dos seus discípulos e disse-lhes: Ide à cidade, e um homem que leva um cântaro de água vos encontrará; segui-o. 14  E, onde quer que entrar, dizei ao senhor da casa: O Mestre diz: Onde está o aposento em que hei de comer a Páscoa com os meus discípulos? 15  E ele vos mostrará um grande cenáculo mobilado [e] preparado; preparai-a ali. 16  E, saindo os seus discípulos, foram à cidade, e acharam como lhes tinha dito, e prepararam a Páscoa. 17  E, chegada a tarde, foi com os doze. 18  E, quando estavam assentados a comer, disse Jesus: Em verdade vos digo que um de vós, que comigo come, há de trair-me.” (Marcos 14:10-18 RC)

 

 “27  E disse-lhes Jesus: Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim, porque escrito está: Ferirei o pastor, e as ovelhas se dispersarão. 28  Mas, depois que eu houver ressuscitado, irei adiante de vós para a Galiléia. 29  E disse-lhe Pedro: Ainda que todos se escandalizem, nunca, porém, eu. 30  E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje, nesta noite, antes que o galo cante duas vezes, três vezes me negarás.” (Marcos 14:27-30 RC)

 

4.    Não podemos nos ocultar de Jesus. Não podemos ocultar nada de Jesus.

a.    Ele sabe o que se passa no mais profundo de nosso ser.

b.    Ele sabe de nossa fé, e também de nossa falta de fé.

c.    Ele sabe da verdade que há em nós, e também da mentira;

d.    ele sabe da sinceridade e também da insinceridade;

e.    da humildade e também do orgulho.

f.     Ele sabe sobre aquilo que pensamos que só nós sabemos, e que escondemos de todo mundo.

5.    Não podemos fingir diante de Jesus:

a.    Se somos humildes, ótimo! Mas se somos orgulhosos, não adianta fingirmos humildade. Temos que confessar nosso orgulho, e pedir que ele nos transforme.

b.    Se amamos...

c.    Se temos fé...

d.    Se estamos conseguindo resistir às paixões...

e.    E assim sucessivamente.

6.    Não adianta sermos insinceros com Jesus, pois ele conhece o nosso coração.

 

Conclusões.

 

1.    Temos um Deus que pode todas as coisas, e que tem grandíssimas e preciosas promessas para nós. Não precisamos ficar temerosos, mesmo que pareça que o mundo vá desabar sobre nós.

2.    Jesus sabe sobre a qualidade de nossa fé. Se ela, no momento, não é muito boa, não precisa continuar assim. Podemos crescer na fé! Façamos experiências com Jesus!

3.    O nosso Deus é Onisciente! Nada lhe pode ser ocultado. Sendo assim, o bom é que busquemos nEle a purificação de nossos pecados, e o fortalecimento onde temos sido fracos.

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

 

Muqui – Outubro de 2013

Revisada, estendida e reapresentada em Muqui em Junho de 2015