Pesquisar este blog

Carregando...

Me siga no Facebook

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

AS PEQUENAS RAPOSAS

 

AS PEQUENAS RAPOSAS

 

N. Nazarian (Chapel Library)

Tradução: Gustavo Stapait Viana 11/01

Revisão: Calvin G. Gardner 11/01

Inserção dos versos em Rodapé: Pr. Walmir Vigo Gonçalves

 

“Apanhai-me as raposas, as raposinhas, que fazem mal às vinhas, porque as nossas vinhas estão em flor.” (Cantares 2:15 RC)

 

OS PECADOS DOS CRENTES

 

Os filhos de Deus geralmente não caem nos grandes e bem conhecidos pecados, mas, segundo a Palavra de Deus, há pecados que eles cometem freqüentemente. Estes pecados são como pequenas raposas que estragam a uva (nossas vidas), tornando-nos infrutíferos.

 

Mas quais são estes pecados?

 

Aqui estão alguns deles:

 

1.    Saber fazer o bem, mas não fazê-lo (Tiago 4:17[1]). Deus nos manda repetidamente, em Sua Palavra, fazer o bem a todos, principalmente aos domésticos da fé (Gálatas 6:9,10[2]). O Senhor Jesus foi um exemplo para nós, neste aspecto. Nós lemos em Atos 10:38 que "Ele andou fazendo bem." Quão devagar nós estamos no obedecer deste mandamento!

2.    Não orar pelo próximo (falta de oração). (I Samuel 12:23[3]). Nós freqüentemente oramos por nós mesmos, pelos membros de nossa família, pela nossa igreja, mas nos esquecemos de orar para os servos do Senhor, para os missionários, para as doentes, pelos reis e por todos que estão em autoridade, e também para muitos outros (Efésios 6.17-18[4] e 1 Timóteo 2.1-2[5]). Este é uma das "pequenas raposas". Nós devemos orar por todos.

3.    O pecado de fazer decisões e seguir o nosso caminho sem fé (Romanos 14:23[6]). Sim, qualquer coisa que não esteja de acordo com a Palavra de Deus, não é de fé. Muitos Cristãos decidem e fazem coisas, sem olhar às Escrituras para conhecer o desejo de Deus. Outros estragam suas vidas, com jugos desiguais ou amizades inconvenientes (II Coríntios 6:14[7]). É uma pena!

4.    O pecado de fazer acepção de pessoas, ou o de agradar aos homens mais que Deus (Gálatas 1:10[8]). Este pecado é comum em muitas igrejas. Mais cargos ou posições são dadas aos ricos e educados, do que às pessoas espirituais que não são ricas ou educadas. Tenha cuidado de não fazer acepção de pessoas.

5.    O pecado de não ser generoso com Deus. Este é um fato: o povo de Deus não oferta o suficiente a Deus. No tempo do Velho Testamento os Israelitas davam dízimos e ofertas a Deus. Agora, nós não damos metade disto. Muitos deixam de dizimar a Deus dizendo, "Nós não estamos no tempo da Lei". Se no Velho Testamento os santos davam dízimos, poderíamos dar menos? Leia Gênesis 14:20; 28:22; Mateus 23:23 *[9]. Oremos para que o Senhor livra-nos deste pecado e nos ensine a dar assim como Ele nos mandou a dar (II Coríntios 9:6[10]).

6.    Não buscar primeiro o Reino de Deus (Mateus 6:33[11]). Somente temos tempo para as nossas próprias necessidades. Trabalhamos duro para ganharmos mais, algumas vezes deixando de lado as reuniões por isso, mas não temos tempo para o estudo da Palavra de Deus; para orar, para visitar e praticar o evangelho diante dos não salvos. Este é um outro pecado que tem arruinado muitas vidas.

7.    O pecado de mentir (Colossenses 3:9[12]). Muitas vezes mentimos sem saber o que fizemos. Nós cantamos com vozes altas, "Mais de Cristo" mas não temos a consagração real. Nós cantamos, "Tudo Entregarei" mas a oportunidade vem para ofertar e damos muito pouco. Nós pregamos mas não vivemos a mesma mensagem. Que aprendemos a sermos praticantes da Palavra (Tiago 1:22[13]).

8.    O pecado de não amarmos os nossos irmãos como o Senhor nos mandou a amar (João 15:12; Tiago 2:8, I João 3:16,18)[14]. O Senhor freqüentemente nos disse, "Que vos ameis uns aos outros; como Eu vos amei a vós." (João 13:34; 15:12). Muitas vezes amamos apenas de boca, mas não pelas ações. Alguns amam apenas aqueles que os amam ou que estão próximos a eles, mas não têm nenhum amor por aqueles que são indiferentes a eles. Que aprendemos a amar nossos irmãos como nos amamos a nós mesmos.

 

Meu caro irmão, mate estas pequenas raposas, para que elas não façam você infrutífero. Oremos para que o Senhor nos guarde destes pecados, para que possamos viver a glorificar o Salvador Quem nos amou e nos deu a Si mesmo por nós.

 

N. Nazarian (Chapel Library)

 

Tradução: Gustavo Stapait Viana 11/01

Revisão: Calvin G. Gardner 11/01

Inserção dos versos em Rodapé: Pr. Walmir Vigo Gonçalves



[1] “Aquele, pois, que sabe fazer o bem e o não faz comete pecado" (Tiago 4.17 RC)

[2] “E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido.  Então, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé” (Gálatas 6.9, 10 RC)

[3] “E, quanto a mim, longe de mim que eu peque contra o SENHOR, deixando de orar por vós; antes, vos ensinarei o caminho bom e direito” (1 Samuel 12.23 RC)

[4] “Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus,  orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos” (Efésios 6:17-18 RC)

[5] “Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens,  pelos reis e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade.” (1 Timóteo 2:1-2 RC)

[6] “Mas aquele que tem dúvidas, se come, está condenado, porque não come por fé; e tudo o que não é de fé é pecado.” (Romanos 14:23 RC)

[7] “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” (2 Coríntios 6:14 RC)

[8] “ Porque persuado eu agora a homens ou a Deus? Ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo.” (Gálatas 1:10 RC)

[9] “e bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E deu-lhe o dízimo de tudo.” (Gênesis 14:20 RC)

“e esta pedra, que tenho posto por coluna, será Casa de Deus; e, de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo.” (Gênesis 28:22 RC)

“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer essas coisas e não omitir aquelas.” (Mateus 23:23 RC)

[10] “E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância em abundância também ceifará.” (2 Coríntios 9:6 RC)

[11] “Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6:33 RC)

[12] “Não mintais uns aos outros, pois que vos despistes do velho homem com os seus feitos” (Colossenses 3:9 RC)

[13] “E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.” (Tiago 1:22 RC)

[14] “O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.” (João 15:12 RC)

“Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis.” (Tiago 2:8 RC)

“Conhecemos a caridade nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos... Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade.” (1 João 3:16 e 18 RC)

 

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

JESUS É O SENHOR DA GLÓRIA

 

JESUS É O SENHOR DA GLÓRIA

 

1 Coríntios 2:8

 

01. O evangelista Lucas, em 23:47, relata que um centurião, certamente o chefe da guarda  que esteve ao pé da cruz quando Jesus foi crucificado, vendo tudo o que acontecera por ocasião da crucificação e morte de Jesus, deu glória a Deus dizendo: “Certamente este homem era justo”. R. N. Champlin, em o N. T. Int. V. por V., comentando I Co. 2:8 diz que John Mosefield, em sua imaginária conversação entre a esposa de Pilatos e o referido centurião, diz o seguinte:

 

-        Pensas que ele está morto?

-        Não, senhora, penso que não.

-        Então, onde ele estará?

-        Solto no mundo, senhora, onde nem romanos e nem judeus podem abafar-lhe a verdade.

 

02. Bem, obviamente Jesus esteve realmente morto, pois para isso veio.

03. Mas Jesus Cristo é o Senhor da glória, diz Paulo, e homens poderosos, principais entre o povo, o crucificaram porque a sabedoria que possuíam não era a verdadeira sabedoria,  mas ele continuou, mesmo morto, e continua agora, ressuscitado, sendo o Senhor da glória, e nada, nem mesmo uma crucificação e morte pode abafar-lhe a verdade.

04. "Senhor", no texto, é kurios, que quer dizer: "aquele a quem uma pessoa ou coisas pertence, sobre o qual ele tem o poder de decisão; mestre, senhor".

05. "Glória" é doxa, que quer dizer glória, esplendor, brilho, majestade, magnificência, excelência – a mais gloriosa condição ou o mais glorioso estado de exaltação.

06. Jesus é, diz Paulo, aquele que possui essa gloriosa condição e esse glorioso estado de exaltação.

07. Por que? Bem, a resposta pode ser relativamente simples, mas aceitá-la sempre será uma questão de fé. Você crê? Qual é o Jesus em que você crê, ou o que você crê acerca de Jesus? Essa é uma pergunta que está se tornando cada vez mais importante em nossos arraiais, talvez principalmente quando vamos escolher professores para nossos seminários teológicos, pastores para as nossas igrejas e até mesmo pregadores e palestrantes para os nossos eventos, bem como que livros vamos adquirir para ler. Por exemplo, Rudolf Bultmann, um teólogo Alemão acerca de quem você quase sempre vai ler nas primeiras linhas de escritos sobre ele: "um dos teólogos mais influentes do século XX"; esse homem considerava muitas coisas na bíblia como mito, inclusive a ressurreição de Jesus – para ele a ressurreição acontecera sim, mas apenas na experiência subjetiva dos discípulos, apenas "na cabeça deles"; mas que Jesus havia revivido, saído do túmulo e se manifestado vivo conforme relata as escrituras, nisso ele não cria.

08. Então vejamos pelo menos três razões porque Jesus é o Senhor da Glória:

a.    Jesus é o Senhor da glória porque Ele é o Filho de Deus, e, como tal, a glória lhe é inerente, isto é, está naturalmente ligada a ele de forma inseparável – é-lhe um atributo essencial – João 1 14 diz: “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.” (João 1:14 RC)

b.    Jesus é o Senhor da glória porque, como homem, sendo ele agora Senhor dos homens, ele foi glorificado, tendo recebido um nome que está acima de todo e qualquer outro nome – Veja o que diz Filipenses 2:3-11: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo.  Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros.  De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,  que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus.  Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz.  Pelo que também Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que é sobre todo o nome,  para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,  e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.” (RC)

c.    Jesus é o Senhor de toda glória porque ele é o modelo de todos  os que já são remidos e glorificados, bem como de todos aqueles que ainda o serão – Veja os seguintes textos: “Mas todos nós, com cara descoberta, refletindo, como um espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.” (2 Coríntios 3:18 RC) / “Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” (Romanos 8:29 RC)

09. De toda a glória existente na terra e no céu Jesus é o Senhor. Jesus é o possuidor de toda a glória divina e celestial.

10. Porém, mesmo assim, o que os homens fizeram com ele? Paulo diz que os homens o crucificaram. Os homens poderosos, “sábios”, não reconheceram pela sua própria sabedoria o Senhor da glória, pois esta não era a verdadeira sabedoria.

11. Mas a grande questão é: “E nós, temos reconhecido a Jesus como sendo o Senhor da glória?”

12. Este reconhecimento não é tanto intelectual quanto prático. Tiago diz que a fé que não se manifesta em obras (prática), é morta em si mesma. Abraão, o pai da fé, demonstrou, externou sua fé através de suas ações em obediência a Deus. Mas muitos houveram, e ainda há muitos que são como Simão, o “mágico”, do livro de Atos. Veja Atos 8:5-21 e repare bem no versículo 21.

13. Jesus é o Senhor da glória, mas muitos há, até mesmo “crentes”, que, a exemplo daquelas pessoas do passado, continuam expondo-o ao vitupério.

14. Que não sejamos desse tipo de “crentes”. Ao contrário, que sejamos, todos nós como aqueles crentes mártires do livro do Apocalipse, que lavaram as suas vestiduras e as branquearam no sangue do Cordeiro, que viveram em função de dar testemunho da verdade e que nem mesmo a custo de suas próprias vidas foram infiéis a Cristo em palavras ou ações.

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Muqui, Dezembro de 2014

011 - Apresentacao na igreja - 01 de Junho (8)

 

terça-feira, 18 de novembro de 2014

DESCULPE... FOI ENGANO.

 

DESCULPE... FOI ENGANO.

 Engano

            Era uma vez um rapaz que tinha muitos problemas. Constantemente, em suas preces, ele pedia que Jesus viesse visitá-lo no seu sofrimento. Um dia, Jesus bateu à sua porta, e ele, maravilhado, convidou-o a entrar. E Jesus sentou-se no sofá da sala. Na mesinha de centro encontrava-se uma Bíblia aberta no Salmo 91. Numa das paredes estava pendurado um bordado com o Salmo 23 e na outra um quadro da última ceia.

 

            "Senhor Jesus", disse o jovem, "em primeiro lugar gostaria de dizer que é uma honra recebê-lo em minha casa. Conforme o Senhor deve saber, estou passando por algumas dificuldades e preciso muito da Sua ajuda..."

 

            "Filho", interrompeu Jesus, "antes de conversarmos sobre seus pedidos, gostaria de conhecer sua casa. Onde é o lugar que você dorme?"

 

            No mesmo instante o rapaz se lembrou que, no quarto, o computador estava ligado e aberto em uns sites pouco recomendáveis e, colocando-se na frente da porta disse: "Não, Jesus, aqui não! Meu quarto não está arrumado!"

 

            "Ok", disse Jesus, " E onde é o lugar que você toma banho?" Novamente o rapaz se lembrou que guardava, no banheiro, umas revistas terríveis, e se apressou em dar uma desculpa: "Ih, Jesus, melhor não. Acabei de tomar banho e está tudo molhado..."

 

            "Bem", disse Jesus, "e a cozinha, posso conhecer sua cozinha?" E o rapaz lembrou que na cozinha havia algumas garrafas de bebida vazias que ele não gostaria que Jesus visse. "Senhor, desculpe, mas prefiro que não", respondeu o rapaz, "a minha cozinha está vazia, não tenho nada de bom para oferecê-lo."

 

            Neste instante, um barulho forte interrompe a conversa. Pam, pam, pam...! Era alguém que batia furiosamente na porta. O rapaz se levantou, assustado, e foi ver quem era. Abriu a porta meio desconfiado, e viu que era o diabo. "Sai da frente que eu quero entrar!", gritou o tentador. "De jeito nenhum", respondeu o rapaz, e assim começou a briga. Com muita dificuldade o rapaz conseguiu empurrar o diabo e fechar a porta. Cansado, o rapaz voltou para sala e continuou: "Então, Jesus", disse ele, "como eu estava falando com o Senhor, estou precisando de tantas coisas..." Mas, outra vez a conversa é interrompida por um barulho forte que vinha da janela do quarto. O rapaz correu para ver quem era, e, ao abri-la, se deparou, novamente, com o diabo: "Agora não tem jeito, eu vou entrar!", disse o inimigo. E mais uma vez o rapaz se debateu com ele e conseguiu trancar a janela. "Senhor", disse ele, "desculpe a interrupção. Conforme lhe dizia..." E outra vez, dos fundos da casa, se ouvia tamanho barulho como se alguém quisesse arrombar a porta. Era novamente o diabo: "Eu quero entrar!" E o rapaz, já exausto, lutou com ele e conseguiu mantê-lo do lado de fora.

 

            Ao voltar, contrariado, disse a Jesus: "Eu não entendo. O Senhor está na minha casa e por que o diabo fica insistindo em entrar?" "Sabe o que é meu filho", explicou Jesus, "é que na sua casa você só me deu a sala." E o rapaz, humildemente, entendeu a lição de Jesus e fez uma faxina na casa para entregá-la aos cuidados do Senhor. Neste instante, o diabo bateu mais uma vez à porta. O rapaz olhou para Jesus sem entender, e o Senhor disse: "Deixa que eu vou atender." Quando o diabo viu que era Jesus, que atendia a porta, disse: "Desculpe, foi engano," e sumiu rapidinho.

 

            Muitas vezes, é assim que acontece com o nosso coração. Entregamos a Jesus só uma parte dele, apenas a sala, ficando as dúvidas a morar no quarto, o acaso na cozinha, o medo na varanda... Então lutamos e não vencemos porque a casa está dividida. A Bíblia diz que "os olhos do Senhor passeiam por toda a terra para se mostrar forte para com aqueles cujo coração é inteiramente Seu.

 

        (Autor desconhecido)

 

REFLITA NESTA FRASE DE JOÃO FALCÃO SOBRINHO:

 

“O cristão está no mundo, mas não é do mundo. Sua vida no mundo deve ser vivida em consonância com o tipo de vida que ele viverá na eternidade. Ele vive na terra, mas ajunta tesouros no céu”

 

Muqui, Novembro de 2014

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

O CRENTE DEVE REFLETIR CRISTO

 

O CRENTE DEVE REFLETIR CRISTO

Amor, perdão, misericórdia, graça, bondade, compaixão, amabilidade, generosidade... Quem neste mundo seria contrário a estas características? Quem se oporia a tais forças positivas na vida de uma pessoa? Em outras palavras: quem seria contra os crentes? Sim, pois os crentes, *julga-se*, possuem essas características. Quem poderia chamar os crentes de nomes maldosos, considerá-los perigosos e procurar a maior distância possível deles?

Quem?

Infelizmente, muitas pessoas.

Mas, por que?

Uma das razões é que na vida de muitos crentes que eles já conhecem não observam amor, perdão, compaixão, bondade, amabilidade, misericórdia, generosidade e outras coisas mais que deveriam ver... Na vida de muitos crentes eles estão vendo o ódio em lugar do amor, o rancor em lugar do perdão, a indiferença em lugar da compaixão, a dureza em lugar da bondade, e muitas outras coisas mais que NÃO deveriam ver. A vida de muitos crentes não tem sido coerente com a mensagem que os crentes pregam.

A vida de um crente precisa refletir a Cristo e suas virtudes. O crente cuja vida prática reflete algo diferente do que Cristo ensinou está dando uma idéia errada aos outros do que é ser um crente na prática.

Se você é crente, deixe que Jesus brilhe através de sua vida para que outros possam vê-lo (a Jesus) em você.

“Adaptado”

Muqui, Agosto de 2014

terça-feira, 5 de agosto de 2014

JESUS VEIO BUSCAR, SALVAR E TRANSFORMAR


JESUS VEIO BUSCAR, SALVAR E TRANSFORMAR

1. Leia Lucas 19.1-10

2. Este texto relata a salvação de uma alma: a de Zaqueu.

3. A salvação de uma alma é uma das coisas mais fantásticas e mais preciosas que podem acontecer, ainda que muitas vezes a gente não se dê conta disso.

4. Creio que todos já vimos histórias, que viraram notícia, de algum policial, algum bombeiro ou alguma outra pessoa qualquer que salvou a vida de alguém. Depois os anos passam, um encontro é promovido e tudo é relembrado com muita emoção e gratidão. O sujeito virou herói; e com razão, pois afinal o que ele fez não algo de pouca importância.

5. Agora, muito mais importante que livrar pessoas de terem as suas vidas ceifadas é livrar as pessoas de permanecerem com as suas almas condenadas à perdição eterna.

6. Em Lucas 15.7 e 10 Jesus mostra que a alegria causada pela conversão de um pecador atinge proporções cósmicas:

a. “Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.” (Lucas 15:7 RC)

b. “Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.” (Lucas 15:10 RC)

7. Em João 6.27 Jesus mostra que a salvação é mais importante do que comida.

8. Em Lucas 10 temos a narrativa da ocasião em que Jesus enviou setenta discípulos, divididos em grupos de dois, a pregar. Quando eles voltaram, apresentaram-se muito alegres pelo motivo de que até os demônios se lhes haviam sujeitado naquela missão. Mas Jesus lhes diz: “Não vos alegreis porque se vos sujeitam os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus”.

9. E aqui no nosso texto-base vemos que a razão de o “Filho do homem” ter vindo (e isso implicou em uma série de renúncias e coisas desagradáveis) foi “buscar e salvar o que se havia perdido”, e, poderíamos acrescentar, ainda que esteja implícito no ato de salvar, "ransformar". Jesus veio buscar, salvar e transformar.

10. A SUA alma já foi salva?

11. A SUA alma é importante pra Jesus.

12. Ele veio para o mundo inteiro, mas veio para você em particular.

13. Há alguns anos estive levando uma reflexão para um determinado grupo de pessoas. Nessa ocasião havia um jovem senhor, o dono da propriedade, que além de nos ceder o lugar encarregou-se do churrasco. Aquele homem já havia bebido algumas cervejas e estava bem “alegre” e falante. Sua família (esposa e filhos) eram da igreja, e, em dado momento, ele começou a expressar a sua felicidade por isso. Mas e ele? Ele ainda não havia se dado conta de que Jesus o quer também, de que ele também é importante pra Jesus.

14. O seu filho, sua filha, seu pai, sua mãe, seu avô, sua avó, seus netos, todos são importantes pra Jesus, mas você também é, e Jesus veio para buscar e salvar você.

15. Por esse texto e por outros mais que temos em o Novo Testamento, vemos que ao mais ímpio dos homens a graça de Jesus pode alcançar, quanto mais a você...

16. Jesus veio buscar e salvar o perdido, diz o texto, o homem atolado no pecado. Não importa quem seja; “bom” ou “ruim”, “grande” ou “pequeno” transgressor... não importa! Jesus veio buscar e salvar.

a. Ele buscou e salvou ladrões – o ladrão na cruz que se converteu é um exemplo.

i. parece que toda iniciativa foi do ladrão, mas verdade é o que Jesus nos diz em João 6, que ninguém vai ou clama a ele se não for levado pelo Pai. E verdade é o que lemos em Filipenses 2.13, que é Deus quem opera em nós tanto o querer quanto o efetuar. Aquela "disposição" do ladrão, então, não era uma disposição sua, portanto, mas uma "disposição" divina nele operando.

b. Ele buscou e salvou mulheres da vida... (a mulher samaritana, por exemplo)

c. Ele buscou e salvou perseguidores e assassino de cristãos (Paulo, por exemplo)

17. Você conhece alguém que seja extremamente pecador?

18. Você conhece alguém que tem tanto pecado que se fossem colocados um sobre o outro chegaria até acima das nuvens?

19. Eu não sei o quão pecador era Zaqueu, mas de uma coisa eu sei: eu nunca li na Bíblia que Jesus tenha dito que é mais fácil um camelo passar pelo fundo da agulha do que um homossexual, uma prostituta, um ladrão, um assassino, um terrorista... vir a se converter e entrar no reino de Deus. Mas eu já li isso sobre aquele que tem riquezas (obviamente que Jesus falou sobre o que tem riquezas e está preso a elas).

20. Agora, eu pergunto:

a. Zaqueu era Rico?

b. Zaqueu era apegado às riquezas? (O fato de ele ser um ladrão, do colarinho branco, mas ladrão, mostra que sim)

c. E Jesus salvou Zaqueu?

21. Sim, Jesus salvou a Zaqueu porque Zaqueu atendeu à "disposição" divina operando sobre ele e recebeu a Jesus em sua casa, em sua vida.

22. A porta da esperança que o evangelho revela aos pecadores está escancarada, e Jesus pode perdoar e salvar completamente mesmo o pior dos pecadores que vier a Ele, que o receber.

23. Para aqueles que já foram a Cristo e foram salvos, essa verdade mostra que ele pode, com ousadia, pregar o evangelho ao pior e mais ímpio dos pecadores.

24. Mas tem algo mais que este e outros texto bíblicos nos ensinam, e é que pecadores convertidos sempre manifestarão evidências de sua conversão

25. Jesus veio buscar e salvar, mas também transformar.

26. Com Zaqueu foi assim.

27. Veja o v. 8 – Zaqueu não queria mais continuar no erro e até reparar os erros cometidos se possível fosse.

28. Com os discípulos de Jesus foi assim.

29. Com Saulo de Tarso também foi assim,

30. e assim também tem sido com todos aqueles que têm verdadeiramente se convertido no decorrer da história.

31. Analisemos as palavras de Zaqueu: Percebe-se que houve veracidade e determinação nas palavras de Zaqueu. Tendo sido perdoado gratuitamente, Zaqueu sentiu que poderia começar a demonstrar imediatamente quem ele era e a quem ele estava servindo agora.

32. Aquele que deseja provar que é um crente deve andar nos passos de Zaqueu:

a. renunciar com determinação os pecados que antes o assediavam com facilidade

b. e seguir as virtudes cristãs que antes desprezava.

33. J. C. Ryle dizia que: “Em TODOS OS ASPECTOS um crente deve viver de tal modo que todos saibam que ele é um crente genuíno. A fé que não purifica o coração e a vida não é a fé verdadeira. A graça que não pode ser vista, tal como a luz, e experimentada, assim como o sal, não é graça, e sim hipocrisia. O homem que professa conhecer a Cristo e crer nele, enquanto se apega ao pecado e ao mundo, está se encaminhando para o inferno, com uma mentira bem ao seu lado. O coração que realmente provou a graça de Cristo odiará instintivamente o pecado”.

34. Buscar, salvar e transformar. É para isso que Jesus veio.

35. Jesus já o encontrou?

36. Você já foi salvo e transformado?

37. Se Jesus vier hoje, baseado naquilo que a Bíblia diz, você será levado por ele ou será deixado?

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Muqui, Agosto de 2014

Lar de Eni