quarta-feira, 4 de abril de 2018

SÓ JESUS


SÓ JESUS

Ø  “Só Jesus” é uma expressão que costumamos dizer em muitas situações. Situações de riso, situações de choro, situações de espanto e admiração... e por aí vai. Dizemos “por dizer”, sem pensar, sem com isso estar fazendo uma espécie de “declaração de fé”.
Ø  Acontece que “só Jesus” é uma verdade que se aplica a diversas situações da vida, e principalmente às situações mais importantes da vida, aquelas que dizem respeito ao nosso futuro eterno.
Ø  Nelson Ned cantava um hino intitulado “Só Jesus”. Não sei se foi ele mesmo quem compôs, mas penso que ele cantava como uma expressão de sua própria experiência pessoal e como uma declaração de fé. A letra da música, uma profunda expressão da verdade, diz assim:

Quando todas as portas do mundo estiverem fechadas
E você perceber que as verdades estão todas erradas
Quando você não tiver no mundo nem mais um amigo
Não tiver mais ninguém ao teu lado que lhe dê abrigo

Só Jesus só Jesus só Jesus poderá lhe dar a mão
Só Jesus só Jesus só Jesus lhe dará a salvação

Só Jesus nos espera ansioso e de braços abertos
Só Jesus guiará nossos pés aos caminhos mais certos
Basta apenas você aceitar as verdades sagradas
Que estão todas escritas na Bíblia e são confirmadas

Ø  Parece que Nelson Ned estava certo em cantar essa música. Talvez muitos de nós nos identifiquemos com ela em nossas experiências pessoais... Em muitos momentos e situações, “só Jesus”!.
Ø  Mas a nossa intenção hoje é refletir em algumas coisas de que necessitamos para sairmos salvos deste mundo, demonstrando biblicamente que a satisfação de tais necessidades só é possível em Jesus.
Ø  Vamos a elas:

  v  LUZ – o mundo em que vivemos é um mundo envolto em trevas e nesse mundo envolto em trevas nós precisamos de luz, e só Jesus pode nos proporcionar essa luz e ele próprio é essa Luz.

Ø  Quando Deus enviou o dilúvio sobre a Terra, Ele o fez porque “viu que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra, e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente” (Gn. 6.5).
Ø  Foi uma espécie de purificação, uma espécie de recomeço com o único justo, Noé, e sua família, porque a humanidade havia se afundado em profundas trevas espirituais.
Ø  Se houve um tempo que pode ser denominado de “A Idade das Trevas”, certamente foi aquele.
Ø  Tristemente interessante, apesar de não se constituir em nenhuma novidade, já que Jesus anunciou de antemão, é o fato de que a humanidade está vivendo novamente uma situação em geral que pode muito bem caracterizar esse tempo como sendo também um tempo de trevas.
w  Jesus disse, e o evangelista Mateus registrou no capítulo 24, que nos últimos dias os homens seriam caracterizados por comportamentos semelhantes aos dos anteriores ao dilúvio.
w  O Apóstolo Paulo, em sua segunda carta a Timóteo diz que “nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos; porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela... deste número são os que se introduzem pelas casas e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências, que aprendem sempre e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade. E, como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé. Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesto o seu desvario, como também o foi o daqueles.” (2 Timóteo 3:1-9 RC)
Ø  E não é exatamente isso que estamos vendo nesse tempo em que estamos vivendo? Isso e ainda mais.
Ø  Entretanto, apesar de se tratar de um tempo diferenciado em termos de trevas espirituais, fato é que desde a queda do homem no pecado as trevas espirituais sempre estiveram presentes na vida da humanidade em geral e do homem individualmente.
Ø  Diante desse quadro temos que reconhecer que carecemos de luz espiritual, e a Palavra de Deus nos dá conta de que só Jesus pode nos proporcionar essa luz e que ele próprio é a luz.
w  No evangelho de João, em 1.8 e 9 temos uma referência a João Batista e Jesus. João Batista, apesar de ter sido um grande profeta, maior que o qual não houve nenhum, não era a luz. João Batista veio com a missão especial de testificar da e apresentar a luz, mas ele mesmo não era a luz. Mas de Jesus é dito que “ali estava a luz verdadeira que alumia a todo o homem que vem ao mundo”.
w  Outro texto interessante é o que encontramos no evangelho de Mateus, uma citação de Isaías 9.2: “Jesus, porém, ouvindo que João estava preso, voltou para a Galiléia. E, deixando Nazaré, foi habitar em Cafarnaum, cidade marítima, nos confins de Zebulom e Naftali, para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías, que diz: A terra de Zebulom e a terra de Naftali, junto ao caminho do mar, além do Jordão, a Galiléia das nações, o povo que estava assentado em trevas viu uma grande luz; e aos que estavam assentados na região e sombra da morte a luz raiou(4:12-16 RC)
Ø  O mundo está na escuridão, na mais densa treva espiritual. Vivendo nesse mundo precisamos de luz, e a luz de que precisamos só Jesus, e ninguém mais, pode nos prover, sendo ele próprio essa luz.
Ø  Vejamos agora uma outra necessidade que temos:

  v  PERDÃO: Nós precisamos ter os nossos pecados perdoados, e só Jesus pode nos conceder isso; só Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

Ø  Pecado é falta de conformidade com a lei de Deus, em estado, disposição ou conduta.
Ø  Para indicar isso, a Bíblia usa vários termos, tais como pecado, desobediência, transgressão, iniquidade, mal, maldade, malignidade, perversidade, rebelião, rebeldia, engano, injustiça, erro, falta, impiedade, concupiscência...
Ø  O pecado atinge toda a raça humana, a partir de Adão e Eva, e é o mais terrível de todos os males porque o castigo em consequência dele é a morte – física, espiritual e eterna.
Ø  Sendo assim, precisamos, desesperadamente, que Deus nos perdoe.
Ø  Pensemos em algo muito ruim, que pode nos causar muito mal, do qual precisamos e queremos nos livrar. Em que podemos pensar? ... Talvez cada um de nós esteja pensando em algo que faz parte de nossa experiência pessoal ou familiar. E não seria bom receber a notícia de que para esse mal, esse que está na sua mente aí agora, tem um remédio cem por cento eficaz e que você pode pegar esse remédio de graça lá no posto de saúde?
Ø  Quem não ficaria alegre e tranquilo se fosse descoberto um meio infalível de se curar as pessoas de enfermidades terríveis, como o câncer, por exemplo?
Ø  Pois o pecado é ainda mais terrível, infinitamente mais terrível; é a causa por trás de todos os males; é a causa da morte física e, pior, é a causa da perdição eterna.
Ø  Um bom exemplo nós o temos na história do rico e Lázaro, registrada em Lucas 16.19ss. Leia lá a história e depois me responda com sinceridade: se você tivesse que ser um deles, qual você escolheria ser?
Ø  Pois bem, por ser o pecado tão terrível, precisamos de uma solução, e a solução está em sermos dele perdoados, e é só Jesus quem nos pode perdoar.
w  Em João 1.29 João Batista diz, a respeito de Jesus, que ELE é o Cordeiro de Deus que tira o Pecado do mundo.
w  Em Tito 2.14 lemos, acerca de Jesus, que foi ele, e não outro, que deu-se a si mesmo para nos remir de toda a iniquidade.
w  Romanos 8.1 diz-nos que nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.
w  E por aí vai...
Ø  A Bíblia é clara em nos informar acerca do pecado, das consequências do mesmo e também é clara e abundante em nos informar que a única solução é dele sermos perdoados e o perdão nós só o encontramos em Cristo Jesus.
Ø  Então já falamos sobre duas necessidades: Luz espiritual e perdão. Ninguém tem isso para nos dar senão Jesus.
Ø  Mais uma necessidade:

  v  RESGATE: nós precisamos ser resgatados de nossa vã maneira de viver, e só Jesus pode nos proporcionar esse resgate.

Ø  Por “vã maneira de viver” quero dizer
w  uma maneira de viver que não inclui Deus,
w  uma maneira de viver em que Deus não é reverenciado ou sequer lembrado;
w  uma vida vivida seguindo-se os próprios padrões e que levará, finalmente, a nada, pelo menos nada daquilo que gostaríamos... e a tudo aquilo que não gostaríamos.
Ø  O Apóstolo Paulo, escrevendo aos Romanos convertidos a Cristo, no final do capítulo 6 faz-lhes lembrar a vida que viviam antes, uma vida vã, uma vida de servidão às práticas pecaminosas, e pergunta-lhes que fruto eles tinham daquelas coisas que praticavam. Que fruto eles tinham? Nenhum realmente bom. A razão? A razão está no fato de que uma vida vivida assim tem como fim a morte, isto é, a separação eterna de Deus, a perdição, a eternidade no inferno – “O salário do pecado é a morte...”.
Ø  De uma vida assim, ainda que muitos não se deem conta ou nem queiram, porque muitas delícias para a nossa carne estão presentes, precisamos desesperadamente ser resgatados, porque, caso não o sejamos, o inferno será o nosso destino.
Ø  E o único que pode nos resgatar é Jesus. Aliás, a Bíblia nos dá conta de que o preço do resgate já foi pago e que a única coisa necessária agora é nós aceitarmos ser resgatados.
w  Pedro, em sua primeira carta, no capítulo 1, mostra-nos que o preço já foi pago, e não foi pago, e nem o poderia ser, com coisas corruptíveis como o ouro e a prata, mas com o precioso sangue de Cristo. Só o precioso sangue de Cristo é aceito como preço desse resgate e ele o deu por nós.
Ø  Luz, Perdão, Resgate e, finalmente:

  v  “ VER A DEUS ” : nós precisamos ver a Deus, o Pai celestial, estar com o Pai e receber da parte do Pai um lugar de habitação no céu para a eternidade, e só Jesus pode nos proporcionar isso.

Ø  Veja João 14.1-9
Ø  Em João 6, no final do capítulo, quando muitos começam a abandonar a Jesus, Jesus se dirige a seus discípulos e lhes pergunta se não queriam eles também retirar-se, ao que Pedro responde: “para quem iremos nós? Tu tens as palavras de vida eterna”.
Ø  Em Atos 4.12, levado ao sinédrio, o mais alto tribunal religioso dos judeus, do qual faziam parte os sumos sacerdotes (o atual e os anteriores), chefes religiosos (anciãos) e professores da Lei, 71 membros ao todo, Pedro diz acerca de Jesus que “em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”.
Ø  Você quer estar na eternidade com Deus ou longe de Deus?
Ø  Você gostaria de receber da parte de Deus um lugar de habitação na eternidade?
Ø  Você pode estar com Deus e você pode receber este lugar de habitação.
Ø  Algumas vezes na Bíblia, depois de proclamada uma verdade, encontramos a frase: “quem tem ouvidos para ouvir ouça”. Pois bem, se você tem ouvidos para ouvir, ouça, e jamais se esqueça de que isso é possível, mas SÓ O É EM JESUS.

  v  Conclusão

Ø  Você precisa de luz espiritual;
Ø  Você precisa ter os seus pecados perdoados;
Ø  Você precisa ser resgatado de sua vã maneira de viver,
Ø  Tudo isso porque você precisa ver a Deus, o Pai, estar com Ele e receber Dele um lugar de habitação na eternidade.
Ø  Talvez você ainda não tenha se dado conta, ou ainda não tenha pensado seriamente nisso, mas o fato é que sem a iluminação do alto, sem o perdão dos pecados, sem o resgate e sem um lugar no céu, a única opção que lhe resta é o inferno.
Ø  O que você está esperando? Porque não se entrega a Jesus hoje mesmo?

Pr. Walmir Vigo Gonçalves
Abril de 2018 – Congregação Betel


SE EU ANDAR COM DEUS PELA FÉ





SE EU ANDAR COM DEUS PELA FÉ...
Por Pr. Walmir Vigo Gonçalves
Sermão 0118 – Abril de 2018


 “Pela fé, Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu, e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé.” (Hebreus 11:7 RC)

Ø  Betty Bacon escreveu um artigo bem interessante intitulado “A Morte na Boca do Povo”, artigo esse que saiu impresso na revista Vox Scripturae de Março de 1996.
Ø  Falando sobre as diversas formas de os povos se referirem à morte de alguém ela se refere também às fórmulas que são encontradas na Bíblia, dentre elas a que se repete por todo o capítulo 5 do livro de Gênesis e que diz: “(fulano) viveu (tantos) anos, e gerou a (sicrano). Depois que gerou a (sicrano), viveu (tantos) anos, e teve filhos e filhas. Todos os dias de (fulano) foram (tantos) anos, e teve filhos e filhas. Todos os dias de (fulano) foram (tantos) anos, e morreu”.
Ø  Entretanto, em meio a esses relatos, algumas surpresas surgem, mudando a fórmula, quebrando a rotina.
Ø  Uma dessas surpresas se refere a Enoque, nos versos 21 a 24, e a outra é encontrada no verso 29 e consiste de uma explicação do nome de Noé.
Ø  Betty Bacon comenta esse fato dizendo que

“fica claro que, no caso de Noé, como no de Enoque, a mudança de estilo e de conteúdo deve-se a mais um passo na restauração do relacionamento do homem com Deus. Quebra-se a rotina estabelecida da história humana quando os homens “andam com Deus”, como esses dois tinham feito”.

Ø  Enoque andou com Deus e não viu a morte – foi trasladado.
Ø  Sobre Noé, ainda que não esteja escrito claramente com todas as letras, está “explicitamente implícito” no texto que ele também foi alguém que andou com Deus. Não foi trasladado como Enoque, mas foi feito por Deus:
w  O portador de uma mensagem de Deus para os homens;
w  O “salvador da raça humana”;
w  O portador de uma grande promessa de Deus e
w  Um monumento da graça – conforme o texto de Hebreus inserido no início dessa reflexão “herdeiro da justiça que é pela fé”.
Ø  Maravilha, não?!
Ø  Isso lhe diz alguma coisa? A mim diz.
Ø  Histórias de homens como Enoque e Noé são para mim referenciais, e, com base também nas Sagradas Escrituras como um todo, me dizem que se eu andar com Deus pela fé, grandes maravilhas Ele poderá operar em mim e através de mim.
Ø  Mas o que significa “andar com Deus pela fé”? E como posso saber se ando com Deus pela fé? E Que tipos de maravilhas poderá Deus operar usando a mim como instrumento se eu andar com Ele pela fé?
Ø  Vamos pensar um pouco nisso? Então vamos lá:

v O que significa andar com Deus pela fé?

Ø  Primeiramente leiamos o que está escrito em Hebreus 11.1: “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem.” (RC)
Ø  O texto fala de esperança (coisas que se esperam e que ainda se não vêem), mas também fala de fé – a esperança está fundamentada na fé que se tem em Deus, o autor das promessas.
Ø  Andar com Deus pela fé é, portanto, viver a vida neste mundo com a firme convicção de que tudo o que Ele prometeu há de cumprir, e, portanto, sendo-lhe obedientes em tudo, em todo o Seu direcionamento. Lembram-se do exemplo de Noé? Ele creu, e por crer passou a agir conforme Deus lhe orientava.
Ø  E o que Deus nos tem prometido?
Ø  Fala-se muito hoje em dia que “Deus prometeu” e ele vai cumprir. E muitas, mas muitas vezes mesmo, isso não é nada mais do que a expressão de um desejo pessoal, e esse desejo pessoal é muitas, mas muitas vezes mesmo, acerca de algo que Deus até pode fazer mas que Ele não prometeu realmente fazer. Se ele prometeu Ele fará, mas se não prometeu, pode até fazer, mas não necessariamente. Eu não quero frustrar a expectativa de ninguém, mas onde está lavrada a promessa de Deus de que você um dia, neste mundo, vai ficar rico? Em lugar nenhum, a não ser que Deus tenha lhe falado isso pessoalmente. Onde está escrito que essa semana vai parar um caminhão repleto de bênçãos (materiais) na porta da sua casa e todos os seus problemas serão resolvidos? Só no facebook, e não foi Deus quem escreveu ou mandou escrever. Onde estava escrito que aquele velho pastor, já cego e extremamente debilitado por uma terrível enfermidade, seria sarado, voltaria a enxergar e teria as suas forças renovadas porque Deus tinha uma obra tremenda, maravilhosa para realizar através dele? Só na boa vontade e nos sentimentos daquelas pessoas que o amavam – algumas – ou que queriam de alguma forma provar a Deus – outras. E é daí que surgem as profetadas. O pastor morreu alguns dias depois, e já se passaram mais de 25 anos. Deus falhou? Não!!! Deus não prometeu nada disso!
Ø  Mas o que Deus nos tem prometido então. Quais são, seguramente, as promessas de Deus para nós? São muitas e são maravilhosíssimas, e nós as encontramos com segurança em Sua Palavra, a Bíblia Sagrada. Há possibilidade de outras mesmo não estando na Bíblia, como disse, mas com segurança nós as encontramos na Palavra.
Ø  Vejamos apenas três promessas:
w  A promessa do retorno triunfante de Cristo – Veja Tito 2.13, dentre outros textos: “aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo” (RC)

“... A história está avançando para um destino... não é um fio fora da meada, nem uma coletânea qualquer de eventos isolados e sem sentido. Há uma consumação. O cristão é um homem que considera que ele mesmo e a totalidade da vida estão a caminho de um alvo”[1]

w  A promessa da ressurreição dentre os mortos – Em todo o Novo Testamento esta promessa está presente, mas para citar um texto só, veja 1 Tessalonicenses 4. 13-18: “Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.  Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem Deus os tornará a trazer com ele. Dizemo-vos, pois, isto pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.  Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras” (RC)

“O cristão é alguém que está caminhando não para a morte, mas para a vida. Para ele a morte não é o abismo do nada ou do aniquilamento. É o ‘portão no horizonte’”[2]

w  A promessa da vida eterna – Veja, dentre outros textos, Tito 1.2 e 3.7: “em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos dos séculos” (Tito 1:2 RC) / “para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros, segundo a esperança da vida eterna.” (Tito 3:7 RC)

“No Novo Testamento a palavra ‘eterna’ ressalta não simplesmente a duração, mas a qualidade da vida. Eterno é a palavra que descreve qualquer coisa que é ‘própria de Deus’. A vida eterna é o tipo de vida que Deus vive. A esperança do cristão é que um dia compartilhará da própria vida de Deus”[3] – Veja 1 Pedro 1.4

Ø  Andar com Deus pela fé é, portanto, nos alicerçarmos em Deus e andar “olhando para ele” ...

v E como posso saber se ando com Deus pela fé?

Ø  Eu sei que estou andando com Deus pela fé quando Lhe estou sendo obediente em tudo – a obediência é sinal de fé – o que eu faço revela o que eu creio.
Ø  Eu sei que eu estou andando com Deus pela fé quando eu me comporto como crente mesmo vivendo no mundo ao invés de me comportar como um mundano, um secularizado, que por acaso é membro de uma igreja; e também quando busco ter com Deus um relacionamento além do superficial, um compromisso pessoal.
Ø  Lécio Dornas me chama muito a atenção com aquilo que ele escreveu em uma parte do livro “Curando as enfermidades da igreja”. Preste bem atenção no que estou dizendo: ele chama a MINHA atenção; EU ME sinto repreendido pelas suas palavras; eu as aplico A MIM em primeiro lugar. Mas talvez elas possam lhe dizer algo também, então as quero citar. Ele escreveu:

“Uma das armas mais terríveis que o inimigo tem usado para enfraquecer ou pelo menos diminuir o impacto da ação da igreja na sociedade é exatamente o processo de secularização da igreja. É empreitada que tem como propósito mundanizar a igreja, trazer o mundo para dentro da igreja e levar uma igreja mundanizada, secularizada, para as ruas da cidade. Sem autoridade, pobre; uma igreja cabisbaixa, sem poder, que não influencia em nada. Uma igreja que não faz diferença, que não muda a ordem natural das coisas, uma vez que está comprometida e vinculada, e, além disso, está comportando-se dentro daquilo que preceitua a sociedade do mundo contemporâneo.

Outra arma... é a superficialidade de vida cristã... Há uma tendência a um relacionamento superficial com Deus em todas as dimensões a serem imaginadas. Crentes da superfície que se contentam com um relacionamento lúdico (de brincadeira) com Deus... Crentes que têm sido religiosos, mas não estão sendo cristãos. Crentes que estão adotando um estereótipo religioso, uma roupa de religioso, algumas condutas religiosas, algumas rotinas de vida que fazem com que sejam confundidos com cristãos devotos. É só casca de uma fachada inócua, inoperante, absolutamente inútil e descartável. Uma espécie de fé comprada em supermercado...

Há quem esteja fazendo muito a título de estar trabalhando para Deus... [Mas, muitas vezes,] ... estão fazendo alguma coisa para Deus sem ter um compromisso pessoal com o Senhor. E uma das realidades bíblicas é a verdade que nos ensina que só posso fazer para Deus se primeiro Deus fizer em mim. Só posso trabalhar para Deus com profundidade, se Deus trabalhar em mim com profundidade. Tanto mais eu trabalharei para o Senhor, quanto mais eu permitir que Ele trabalhe em mim. Tanto mais farei, produzirei e realizarei para Deus, quanto mais Ele produzir e realizar em mim. Eu posso fazer, desde que Deus faça em minha vida, no meu coração. Não posso apenas reproduzir gestos, imitar comportamentos ou posturas; não posso fingir ou representar o que vivo no dia-a-dia. Tenho que permitir que o resultado prático da minha ação no dia-a-dia seja produto da ação de Deus na minha vida e no meu coração. Ele age em nós e o Seu Espírito em nós opera”.

Ø  Exemplos de pessoas que andaram com Deus pela fé sendo-lhes obedientes em tudo:
w  Abraão obedeceu e tornou-se pai de uma grande nação, mesmo Sara sendo estéril;
w  Moisés obedeceu e, dentre muito milagres fantásticos, o mar vermelho se abriu;
w  Josué obedeceu e os muros de Jericó vieram abaixo;
w  Gideão obedeceu e, com trezentos homens venceu um exército de mais de cem mil homens.
w  O que esses homens fizeram em obediência a Deus provou que eles eram homens que andavam com Deus pela fé.
Ø  O que eu faço em relação àquilo que Deus me diz em Sua Palavra revela o que eu creio e se eu ando com Deus pela fé.

v E que tipos de maravilhas Deus poderá operar usando a mim como instrumento se eu andar com ele pela fé?

Ø  Através de seus servos no passado Deus operou muitas maravilhas. Alguns exemplos já foram citados acima, mas outros muitos mais poderiam ser citados, como o sol se detendo para que o exército de Israel sob o comando de Josué vencesse a batalha, as muitas maravilhas operadas por Deus através de Elias, Eliseu, através dos apóstolos e também através de outros servos cujos registros não constam das Sagradas Escrituras, como George Mueller por exemplo. A história registra que George Mueller teve mais de cinqüenta mil orações respondidas e quando alguém lhe perguntou qual o segredo ele respondeu com convicção:

"Houve um dia em que eu morri: morri: morri para George Mueller. As opiniões, preferências, gostos e vontades dele morreram para o mundo, para sua aprovação ou censura; morreu até mesmo para a aprovação ou censura de meus irmãos e amigos, e, desde então, tenho me dedicado somente a me mostrar 'aprovado aos olhos de Deus".

Ø  Para contar só uma das histórias desse homem de Deus:

George Müller estava em um navio no Atlântico, em direção de Bristol. Caiu o nevoeiro, e o capitão do navio que posteriormente contou a história estivera em seu posto por três dias, guiando lentamente a embarcação. Deste modo, não havia a menor possibilidade de chegarem ao destino no sábado, onde Müller tinha um compromisso. Então George aproximou-se do capitão e o convidou para orarem juntos. O capitão seguiu Müller para o porão do navio, e eles se ajoelharam. Müller proferiu uma simples oração: “Querido Jesus, Tu sabes a respeito do encontro que marcaste para mim em Bristol no sábado, assim, por favor, afasta o nevoeiro. Amém.” O capitão estava tentando manufaturar algum tipo de oração, mas Müller o deteve. – Em primeiro lugar, o senhor não crê que Deus possa fazer isto – disse ele – e em segundo lugar, creio que Ele já o fez. Se o senhor retornar à ponte de comando, perceberá que o nevoeiro se foi. O capitão saiu lá fora e descobriu que o nevoeiro tinha realmente desaparecido e eles puderam chegar ainda no sábado em Bristol.

Ø  Como Deus poderá me usar?
a.    Deus poderá me usar para operar a maravilha de levar outros a conhecerem e servirem a Cristo – Walter T. Conner assim se expressa:

A missão do Cristão... é pôr outras pessoas em relação de salvação com Cristo e desenvolver nelas a vida de Cristo. Cada cristão devia ser um evangelista, um mensageiro das boas novas. Nesse sentido todo cristão devia ser um pregador. Esse é um impulso espontâneo da vida nova em nós – levar qualquer outra pessoa a conhecer Cristo e gozar a grande bênção que ele dá. Nossa missão é dar testemunho de Cristo desde Jerusalém até os confins da terra...[4]

                                  i.    Eu poderei ser um pastor
                                ii.    Eu poderei ser um missionário
                               iii.    Eu poderei ser um evangelista
                               iv.    Mas mesmo que eu não seja nada disso de maneira “oficial”, posso sê-lo não oficialmente, isto é, posso fazer a obra de Deus, posso evangelizar, testemunhar... Basta dizer ao Senhor: “eis-me aqui, usa-me a mim”

b.    Deus poderá me usar para operar a maravilha de ajudar no “aperfeiçoamento dos santos”, na “edificação do corpo de Cristo” – Veja Efésios 4.11-14. Disse alguém que uma de nossas tarefas como crentes já maduros é “transformar ceifa em ceifeiros, colheita em colheitadeiras e maçã em macieiras” – Deus é quem faz isso, mas o faz através de nós. E eu não preciso ser pastor, diácono, líder de alguma área ou professor de Bíblia. Eu só preciso ser maduro e me colocar à disposição de Deus.
c.    Deus poderá me usar para operar a maravilha de elevar o padrão moral da sociedade, representando e refletindo bem a Cristo, fazendo aquilo que ele faria e deixando de fazer aquilo que ele deixaria de fazer. A. W. Tozer alertou certa vez para uma realidade que é tão ou mais presente hoje que na sua época: 

"O cristianismo de hoje não transforma as pessoas. Pelo contrário, está sendo transformado por elas. Não está elevando o nível moral da sociedade; está descendo ao nível da própria sociedade...”

Mas se eu andar com Deus pela fé, comigo pode ser diferente, Deus pode me usar para elevar o padrão da sociedade, a começar pela pequena sociedade na qual vivo, que está ao meu redor.

d.    Deus poderá me levar a realizar um ministério poderoso de oração
e.    Deus poderá me levar a realizar um poderoso ministério de obras sociais
f.     Deus poderá me usar para orar, fazer uma “simples oração” por alguém e esse alguém ser curado, ser liberto de espíritos malignos. Talvez alguns dons de operar maravilhas tenham sido de exclusividade dos apóstolos para aquele tempo, mas isso não significa que Deus não possa operar maravilhas hoje. Ele pode! E pode usar você para isso!
Ø  E o que mais? São muitas as maravilhas! Há uma infinidade de possibilidades! Citei apenas algumas e deixo o resto pra vocês pensarem, lembrando, entretanto, que o mais importante é estar andando com Deus pela fé e também lembrando de que “quem anda com o Santo tem que ser santo também”

Ø  Termino desafiando você a andar com Deus pela fé, entregar-se completamente a Ele, ser completamente dirigido por Ele, dizer a Ele: Senhor, eis-me aqui, usa-me, eu quero, sob Tua direção, ser uma bênção na igreja, na sociedade, na vida das pessoas...

Pr. Walmir Vigo Gonçalves



[1] Barclay, William – Palavras Chaves do Novo Testamento – Vida Nova. (Citar esse autor não significa aprovação de sua teologia já que ele descria de algumas doutrinas fundamentais do cristianismo)
[2] Ibid.
[3] Ibid.
[4] Conner, Walter T. – O Evangelho da Redenção - JUERP